Concepções Políticas

quinta-feira, 19 de novembro de 2015


Estudantes do 2º Ano do Ensino Médio

Comente sobre os seguintes temas relacionados ao Capítulo - Concepções Políticas.
Apresente como tais pensamentos e Filósofos influenciam os dias atuais.

                    A)     Direito Natural;
                    B)      Contratualismo;
                    C)      Thomas Hobbes;
                    D)     John Locke;
                    E)      Jean-Jacques Rousseau;
                    F)      Montesquieu;
                    G)     Liberalismo Político;
                    H)     Liberalismo Ético;
                    I)        Liberalismo Econômico.


- OBS.: Postar até segunda-feira (01/12);

- Produza textos com as próprias palavras, caso tenha partes de livros ou sites citar as fontes.

Bons estudos!
Prof.: Alberto

59 comentários:

  1. 2B Larissa Jones Edusesc
    Direito Natural;
    - O conceito do direito natural ( jusnaturalismo ) consiste na defesa de uma lei universal ditada pela razão humana. Apesar de antigo, foi na idade moderna que o conceito de direito natural tornou-se laíco, desvinculando da religião. Para Hobbes, a ideia da liberdade como ausência de impedimentos as ações nos faz pensar o dever de obediência ao poder soberano e também com a política e direito. Hobbes tendeu em sustentar a ideia do direito natural como direito originário individual também vinculado na preservação da vida. Ideias como do direito natural e lei da natural, servem de fundamento no dever de obediência ao soberano, ligados em princípios jurídicos, teológicos e biológicos. Entretanto, não tais princípios não se dão conta do poder soberano e de como seu poder é extenso.
    Fontes-
    http://www.seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/viewFile/911/825
    Livro de Filosofia capítulo 21
    Caderno diário de estudo.

    ResponderExcluir
  2. 2A Larissa Cavalcante Ramos
    Foi um importante filósofo,político e escritor francês,considerado um dos grandes filósofos do iluminismo.Era contra o absolutismo,Fazia várias críticas ao clero católico, principalmente sobre seu poder e interferência política.,defendia aspectos democráticos de governo e o respeito as leis e a divisão do poder em três: Executivo,Legislativo e Judiciário.Havia a teoria da separação e da autonomia dos três poderes que surgiu como forma de combate a tirania,a independência entre o Legislativo,Executivo e o Judiciário,garante equilíbrio deles entre si .Refletindo sobre o abuso do poder real,Montesquieu conclui que''Só o poder freia o poder'' ,daí a necessidade de cada poder manter-se autônomo e constituído por pessoas diferentes.
    "Um governo precisa apenas vagamente o que a traição é, e vai contribuir para o despotismo".
    "A pessoa que fala sem pensar, assemelha-se ao caçador que dispara sem apontar."
    "Leis inúteis enfraquecem as leis necessárias."
    "Quanto menos os homens pensam, mais eles falam"

    Fontes:
    http://www.suapesquisa.com/biografias/montesquieu.htm & Caderno de filosofia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Montesquieu,desculpe esqueci de colocar..

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. VINICIUS AIRES 2º B Charles Montesquieu, um grande filósofo, escritor e político do Iluminismo. De acordo com seus estudos e ideologia, nasceram pensamentos formados que o tornaram opositor ao Absolutismo, pois não concordava que todo o poder de um país pudesse ficar nas mão de um rei. Também não apoiava a Igreja católica ter grande influencia política. Em relação ás coisas que Montesquieu defendia, era a Democracia governamental, respeito as leis e divisão dos três poderes: Executivo, legislativo e Judiciário. Uma de suas frases era : ''Liberdade é o direito de fazer tudo que as leis permitem." FONTES : http://www.infoescola.com/biografias/charles-montesquieu/ http://pensador.uol.com.br/autor/barao_de_montesquieu/ <3

    ResponderExcluir
  5. GUSTAVO VLADSON 2º C - Rousseau apresenta uma contribuição que é válida até os dias atuais. Para esse filósofo, a ideia de liberdade e felicidade está conectada ao estado do ser humano enquanto um “bom selvagem”. Este, portanto, na medida em que decreta algum princípio de propriedade em detrimento da subsistência da natureza pela natureza, perde tais virtudes.

    Alguns dos seus conceitos postulados são: a relação entre natureza e sociedade, a dialética fundada na liberdade, primazia do sentimento sobre a razão, a teoria da bondade natural do homem e a doutrina do contrato social.

    http://psicologiasociali.blogspot.com.br/2011/10/contribuicao-do-pensamento-de-rousseau.html

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Pedro Henrique Torres 2ºC - O ponto inicial do liberalismo é o individualismo e a centralização dos valores do indivíduo. Sendo assim, o liberalismo ético parte da ideia de defender as características únicas do individuo, defendendo assim, a liberdade de expressão e religiosa, a propriedade e a vida por exemplo. O direito do liberalismo ético está bem presente na sociedade atual, onde é possível ver cada vez mais pessoas expondo seu ponto de vista e defendendo sua conduta

    Fontes:
    . http://oindividualista.blogspot.com.br/2008/06/liberalismo-filosofia-e-tica-parte-i.html
    . https://duartenuno.wordpress.com/2005/10/05/o-liberalismo-perante-a-etica/

    ResponderExcluir
  8. Diego Israel 1 ano B.
    Era uma filosofia, que via de forma positiva os prazeres, mas apenas quando usados com moderação. No epicurismo, o homem sábio não deveria temer a morte e nem desprezar a vida. Os espicuristas procuravam evitar a dor e as perturbações, levar uma vida longe das multidões (mas não solitário), dos luxos excessivos, se colocando em harmonia com a natureza e desfrutando da paz. Seu representante foi Epicuro

    ResponderExcluir
  9. Stefany Joaquina 2 °C
    O liberalismo politico baseia-se no direito da população escolher quem o representa
    , e tem uma ligação com o contratualismo, e constitui-se contra o absolutismo real. Decorreu dessa maneira de pensar o aperfeiçoamento das instituições de voto e da representação, além da autonomia do povo em relação ao poder.

    ResponderExcluir
  10. 2ºC Raíssa de Oliveira Santos - O conceito de direito natural (jusnaturalismo) já existia antes do século XVII,e baseia-se na defesa de uma lei universal independe de fronteiras territoriais e temporais,e era ditada pela razão.Foi na Idade Moderna que o conceito de de Direito Natural tornou-se laico,desvinculado da religião.O direito natural tem como pontos principais em sua doutrina a idéia de que existe um direito comum a todos os homens e que o mesmo é universal. Este direito é anterior ao direito positivo, que é aquele fixado pelo Estado, e todos os homens o recebem de forma racional.O Direito Natural apresenta-se hoje, em nossas codificações, de forma a trazer uma proteção ao indivíduo, possibilitando-lhe dispor de todos seus Direitos e Garantias, conforme expresso em Lei.Hoje, concebe-se o Direito Natural como um conjunto de amplos princípios, que o legislador deveria se valer na criação de novas leis. São eles: o direito à vida, à liberdade, à participação na vida social, à união para procriação da prole, à igualdade de oportunidades.
    Fontes:Livro de Filosofia capítulo 21
    http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=970

    ResponderExcluir
  11. 2ºA Israel Faria Caixeta
    O contratualismo é uma importante teoria que diz sobre a necessidade de uma intervenção que assegure o bem-estar social.

    O contratualismo falava do estabelecimento de um estado de (contrato) que assegurasse direitos de liberdade aos seus indivíduos, esse contrato seria praticado de maneira independente aos religiosos de uma sociedade, garantindo assim a liberdade religiosa do indivíduo.

    As condições necessárias para que aconteça, são 3:
    1º A transformação da sociedade mediante uma reformulação do seu sistema de direito e intervenção do estado.
    2º Um pensamento social que estudasse os limites do estado.
    3º Tornar o contrato social acessível para toda a sociedade.

    FONTE:http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/51101/filosofia-politica-moderna-o-contratualismo

    ResponderExcluir
  12. 2°C Matheus Rodrigues de Carvalho Silva
    “A ideia central do liberalismo econômico é a defesa da emancipação da economia de qualquer dogma externo a ela mesma, ou seja, a eliminação de interferências provenientes de qualquer meio na economia”.
    O liberalismo econômico na atualidade age, principalmente, contra as privatizações do governo, pois em sua teoria, o Estado não deve intervir em relações econômicas entre indivíduos, classes ou nações. Porém após a grande queda na Bolsa de Valores de Nova York, em 1929, todo o liberalismo ficou em segundo plano, ofuscado pela socialdemocracia, para poder renascer no final do século como neoliberalismo.
    DANTAS, Tiago. "Liberalismo Econômico"; Brasil Escola. Disponível em . Acesso em 22 de novembro de 2015.


    ResponderExcluir
  13. Guilherme Porto 2 "C"
    Locke defendia a garantia dos direitos de um povo (proteção da vida, da liberdade e da propriedade). Para ele, esses direitos deviam ser prioridade de um governo, e se os governantes não pudessem, ou não quisessem respeitar esses direitos, o povo poderia derrubá-los e substituí-los por alguém melhor.

    ResponderExcluir
  14. O liberalismo defende o livre uso, da parte de cada indivíduo ou membro de uma sociedade, de sua propriedade, sendo partidário da livre-empresa, em oposição ao socialismo e ao dirigismo.A exaltação do trabalho livre e assalariado, no contexto do século XVIII, fez da ideologia liberal um dos pilares das manifestações políticas contrárias às formas de escravidão que ainda vigoravam naquele período.

    http://www.infoescola.com/economia/liberalismo-economico/
    http://www.historiadomundo.com.br/idade-moderna/liberalismo-economico.htm

    Nome: Lucas de Melo Macedo
    Serie: 2 ano A

    ResponderExcluir
  15. Romero Gontijo 2º C
    Rousseau : Seus conceitos apresentam contribuição pelo qual é definida até os dias atuais. Para ele o estado do ser humano enquanto um “bom selvagem” está conectada a ideia de liberdade e felicidade, na medida em que decreta algum principio de propriedade em detrimento da natureza pela sua subsistência, perde tais virtudes.
    Em “O contrato social” a desigualdade de direitos entre cidadãos é sustentada pela ideia de propriedade. Segundo Rousseau, os alvos principais do Estado devem ser as metas sociais, ou seja atender a população de acordo com suas necessidades e prioridades .
    O Estado, o Trabalho e a Educação podem ser relacionados aos escritos de Rousseau. Muitas destas questões são presentes na sociedade brasileira. Portanto, vislumbrar os conceitos Rousseaulianos podem contribuir muitíssimo para a compreensão dos mesmos.
    Fonte: http://psicologiasociali.blogspot.com.br/2011/10/contribuicao-do-pensamento-de-rousseau.html

    ResponderExcluir
  16. O direito natural sempre influenciou as civilizações em suas tomadas de decisões. Historicamente, o direito natural sempre esteve presente no dia-a-dia dos cidadãos e continua presente nos dias atuais. Foram estudiosos do direito natural: os sofistas, Aristóteles, os juristas romanos, Tomás de Aquino, Michel Foucault, Javier Hervada, dentre outros.
    Chamo lei tanto à que é particular como à que é comum. É lei particular a que foi definida por cada povo em relação a si mesmo, quer seja escrita ou não escrita; e comum, a que é segundo a natureza. Pois há na natureza um princípio comum do que é justo e injusto, que todos de algum modo adivinham mesmo que não haja entre si comunicação ou acordo; como, por exemplo, o mostra a Antígona de Sófocles ao dizer que, embora seja proibido, é justo enterrar Polinices, porque esse é um direito natural.”
    Assim inicio esta modesta pretensão que se resume a demonstrar que as decisões judiciais devem receber o abrigo dos elementos fundados no Direito Natural e na Filosofia.

    http://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/8540/A-influencia-do-Direito-Natural-e-da-Filosofia-nas-decisoes-judiciais
    http://www.ambito-juridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=12786

    Nome:Allana Primo
    Serie:2º ano B

    ResponderExcluir
  17. F) Montesquieu
    Montesquieu foi um grande filósofo iluminista que era contra o absolutismo, forma de governo na qual o poder é concentrado apenas nas mãos de um rei. Sendo assim, Montesquieu propôs a tripartição dos poderes em Legislativo, Executivo e Judiciário de forma que cada um fosse autônomo, mas existindo harmonia entre eles. O sistema de governo brasileiro atual segue a tripartição dos poderes de Montesquieu. O Poder Legislativo elabora as leis, o Executivo governa o povo (representado pelo presidente) e o Judiciário julga o correto cumprimento das leis. Desse modo, evita-se a concentração de poder e o Estado torna-se Liberal.
    Sara Vasconcelos Mendes
    2° ano C

    ResponderExcluir
  18. Charles-Louis de Secondat, barão de Montesquieu, foi um dos grandes filósofos políticos do Iluminismo. Escreveu um relatório sobre as várias formas de poder, em que explicou como os governos podem ser preservados da corrupção. Quis explicar as leis humanas e as instituições sociais, idealizou o Estado regido por três poderes separados, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. Essa é a teoria da separação de poderes e teve enorme impacto na política, influenciando a organização das nações modernas.
    Nathália Lira, 2º ano "C".

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Thomas Hobbes , grande filósofo inglês que marcou a história da filosofia, em que escreveu vários livros inclusive uns dos seus mais famosos o Leviatã , Hobbes para sua formação teve contato com cientistas que ajudaram na suas idealizações e conceitos sobre política e sociedade , cabendo a geometria é e seu pensamento mecanicista que envolvem na mor e ética, tinham concepções sobre a atitude do homem que se correlaciona a leis divinas "o homem em estado natural é antissocial por natureza e só se move por desejo ou medo " caracterizando o homem como o próprio lobo do homem , ele pode se causar mal e bem a si mesmo , corre atrás das suas vontades ,assim como o lobo da sua caça, concordando com o contrato social , impondo que tenha uma concordância na sociedade para um bom convívio de todos,porém impondo o monarca que que o poder absoluto da soberania para que tenha paz e a ordem dos indivíduos com seu poder ilimitado, contudo atualmente o seu pensamentos de poder absoluto não se encaixa para nós, temos nossos poderes repartidos (legislativo,executivo e judiciário) onde há intervenções da sociedade para cada atitude tomada.
    Ana Flávia 2° ano "B"

    ResponderExcluir
  22. Hobbes afirmava que o estado de natureza do homem o induzia a atacar o próximo visando se proteger de uma possível ameaça. Assim, o ser humano se via em um ambiente de terror, no qual se ele não garantisse a sua sobrevivência, o próximo a sofrer um “atentado” contra a vida seria ele (“o homem lobo do homem”). É possível perceber que, mesmo com a criação do Estado e do soberano, o homem continua a preservar sua natureza humana. Dessa forma, o Estado só amplia ou massifica a sua índole natural ou humana, para conseguir manter sua soberania, seu pensamento, sua economia e assim sua sobrevivência. Declara guerra aos seus inimigos, podendo vencê-los e com isso se utiliza do fruto que conseguiu da guerra (terras, petróleo, matérias primas entre outros), que ajudam na sobrevivência e enriquecimento do Estado.

    Portanto, o contrato social não nasceu da vontade humana de renegar sua natureza e passar parte de seu poder individual para o soberano e sim da necessidade do homem de ampliar seu poder e garantir a sua sobrevivência.

    Fontes:
    Livro de Filosofia capítulo 21
    http://conceitopolitico.blogspot.com.br

    Rodrigo Vinicius 2° ano 'C'

    ResponderExcluir
  23. Matheus Fonseca Silva 2° "C"
    Rousseau: não foi um filósofo no sentido estrito do termo, pois não encadeava as idéias, nem a fundamentação racional dos princípios que formulou. Mas deixou um legado raro e humano, como por exemplo quando diz que as regras de etiqueta podem esconder o mais vil e impiedoso egoísta e, freqüentemte, seriam somente máscaras da vaidade e do orgulho.
    Um dos propósitos visados por Rousseau é combater os abusos e não repudiar os mais altos valores humanos. Os abusos centralizam-se, para Rousseau, na perda da consciência a que é conduzido o homem pelo culto dos refinamentos, das mentiras, da ostentação da inteligência e da cultura, nas quais se busca mais a admiração do próximo do que a satisfação da própria consciência. Não, Rousseau não pretende queimar bibliotecas ou destruir universidades, reconhece a função útil das ciências e das artes, mas não quer ver os artistas e intelectuais submetidos aos caprichos frívolos das modas passageiras. Pelo contrário, glorifica os esforços da conquista intelectual verdadeira, que se realiza na luta contra os obstáculos e na atividade criadora do espírito livre de pressões.
    Em todas as obras de Rousseau, os processos educativos, tanto quanto as relaçoes sociais, são sempre encaradas do ponto de vista centralizado na noção de liberdade, entendida por ele como direito e dever ao mesmo tempo:"... Todos nascem homens livres"

    ResponderExcluir
  24. Raquel Barros da Silva 2° "C"
    O Contratualista iniciou a formulação dos direitos individuais (liberdade x igualdade) tendo em vista conservar no estado de sociedade aqueles direitos que se afirma existência já no estado de natureza. Concordam entre si HOBBES, LOCKE E ROSSEAU de que o Estado é um tipo de Contrato Social.Que à princípio o Estado foi constituído a partir de um contrato firmado entre as pessoas.Porém havia advergências entre eles:
    HOBBES: Os cidadãos devem transferir o seu poder ao governante, que irá agir como soberano absoluto a fim de manter a ordem.
    LOCKE: O Estado deve preservar o direito à liberdade e à propriedade privada. As leis devem ser expressão da vontade da assembleia e não fruto da vontade de um soberano.
    ROSSEAU: Defende que o Estado se origina de um pacto formado entre os cidadãos livres que renunciam à sua vontade individual para garantir a realização da vontade geral.

    ResponderExcluir
  25. Kleber 2°B
    A teoria do liberalismo econômico surgiu no contexto do fim do mercantilismo, período em que era necessário estabelecer novos paradigmas, já que o capitalismo estava se firmando cada vez mais. A ideia central do liberalismo econômico é a defesa da emancipação da economia de qualquer dogma externo a ela mesma, ou seja, a eliminação de interferências provenientes de qualquer meio na economia.

    Tal teoria surgiu no final do século XVIII, tendo em François Quesnay um dos seus principais teóricos. Quesnay afirmava que a verdadeira atividade produtiva estava inserida na agricultura. Outro pensador que contribuiu para o desenvolvimento da teoria do liberalismo econômico foi Vincent de Gournay, o qual dizia que as atividades comerciais e industriais deveriam usufruir de liberdade, para assim se desenvolverem e alcançarem a acumulação de capitais.
    Fonte:
    http://m.brasilescola.com/economia/liberalismo-economico.htm

    ResponderExcluir
  26. 2° ano A – Fernanda Sinara. Tema: Montesquieu.
    Montesquieu foi um filósofo francês oriundo de família nobre. Teve uma educação iluminista e se tornou crítico severo e irônico da monarquia absolutista e do clero. Montesquieu propôs a tripartição do poder, e é sua a célebre frase: “Só o poder freia o poder”. Ao pensar sobre a tirania do poder absolutista percebeu a necessidade de cada poder ser autônomo e constituído por pessoas diferentes. A separação dos poderes atualmente constituí as bases para o exercício da democracia.
    Texto redigido a partir das informações do nosso livro didático – Filosofar com textos: temas e história da Filosofia.

    ResponderExcluir
  27. Mariângela Carla - 2 ano B. Tema: Liberalismo político
    O liberalismo político surgiu como oposição ao absolutismo real. Enquanto no absolutismo o poder estava fundado no direito divino dos reis,na tradição e na herança,o liberalismo buscou a legitimidade do poder nas teorias contratualitas e no consentimento dos cidadãos.Do pensamento liberal derivaram o aperfeiçoamento das instituições do voto e da representação,a autonomia dos poderes e a limitação do poder central.
    Texto redigido a partir das informações do nosso livro didático – Filosofar com textos: temas e história da Filosofia.

    ResponderExcluir
  28. Mateus Rebouças 2 ano "B" número 24. Tema: liberalismo econômica. A teoria do liberalismo econômico surgiu no contexto do fim do mercantilismo, período em que era necessário estabelecer novos paradigmas, já que o capitalismo estava se firmando cada vez mais. A ideia central do liberalismo econômico é a defesa da emancipação da economia de qualquer dogma externo a ela mesma, ou seja, a eliminação de interferências provenientes de qualquer meio na economia.

    ResponderExcluir
  29. Nathan Reis de Morais Ramon - 2° "A" Tema: Thomas Hobbes

    Thomas Hobbes analisou a natureza do homem e a sua mais celebre frase "Homo homini lupus”, ou " o homem é o lobo do homem, ainda consegue analisar nossa sociedade atual, pois em um mundo capitalista a competição entre as pessoas é inevitável. Outro pensamento de Hobbes que pode ser analisado nos dias de hoje é de que o homem quando não se sente controlado pelo Estado, age em beneficio de sí próprio (Corrupção).

    ResponderExcluir
  30. Afirmava que os homens não tiram prazer algum da companhia uns dos outros quando não existe um poder capaz de manter a todos em respeito, pois cada um pretende que seu companheiro lhe atribua o mesmo valor que ele atribui a si próprio. Dessa forma, tal situação seria propícia para uma luta de todos contra todos pelo desejo do reconhecimento, pela busca da preservação da vida e da realização daquilo que o homem (juiz de suas ações) deseja. Deste ponto de vista surgiria a famosa expressão de Hobbes: “O homem é o lobo do homem”.

    Fonte: http://m.brasilescola.com/sociologia/o-papel-estado-segundo-thomas-hobbes.htm

    Roberta Martins de Carvalho 2° C

    ResponderExcluir
  31. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  32. C) THOMAS HOBBES
    Segundo Hobbes, as leis que regem o comportamento humano, são as mesmas que regem o universo, ou seja, tem origem divina. Com base nessas leis, o homem só se move por medo ou desejo. A autoconservação o induz a impor-se sobre os demais, e origina a guerra contra todos: o homem é um lobo para o homem. Portanto, para que seja possível uma construção e convivência de sociedade, cada indivíduo deve reivindicar um pouco de seus desejos para que assim haja uma harmonia na convivência no meio social. Essa abdicação de uma parte de seus desejos para uma possível convivência, é chamada de contrato social.
    O contrato social, é o que rege as leis da sociedade, não está na legislação, mas já praticamos desde sempre. A aplicação do contrato social está no dia a dia de todos, por exemplo: não podemos atravessar o sinal vermelho mesmo estando com muita pressa, não podemos furar fila, etc. Isso tudo, para manter uma paz social.

    fonte de pesquisa:
    http://www.infoescola.com/biografias/thomas-hobbes/

    Maria Jeane - 2°C (número 15)

    ResponderExcluir
  33. Liberalismo econômico consiste na economia livre da intervenção do Estado. Visando o lucro, as privatizações, a competitividade de mercado e a livre iniciativa. Quando fala - se de liberalismo, fala - se de Adam Smith, pois o mesmo foi um dos principais representantes e o pai do liberalismo econômico. Foi um dos primeiros a pensar na economia como ciência. Defendia que a prosperidade de riquezas e a acumulação monetária não se dava na atividade  rural e nem comercial, mas sim no trabalho. E no trabalho livre da intervenção estatal, pois o mesmo possue seus próprios mecanismos necessários:  "a mão invisível".
    As multinacionais são os exemplos que seguem as ideologias capitalistas do liberalismo atualmente. As empresas estatais estão sendo privatizadas, pois o governo alega que as mesmas não geram lucros. Sendo assim o estado tem perdido cada vez mais seu poder de influência na economia. 

    Fonte: http://m.brasilescola.com/economia/liberalismo-economico.htm

    Laura Fagundes- 2 ano C (número 9)

    ResponderExcluir
  34. G) Liberalismo Político
    Liberalismo é uma doutrina política e econômica que, em suas formulações originais, postulava a limitação do poder estatal em benefício da liberdade individual. Fundamentado nas teorias racionalistas e empiristas do Iluminismo e na expansão econômica gerada pela industrialização, o liberalismo converteu-se, desde o final do século XVIII, na ideologia da burguesia em sua luta contra as estruturas que se opunham ao livre jogo das forças econômicas e à participação da sociedade na direção do estado.
    O liberalismo imperou em um período na europa, a idéia é minimizar a interferência do estado, que a livre concorrência e o capital privado fazem a regulação da economia, lindo..., porém na prática houve concentração de empresas, monopólio, desemprego, encarecimento do produto, e um caos social, hoje o mundo tem sua chama de neo liberalismo, como foi o caso do governo FHC, e Bush, perceba, no de FHC e Bush, podemos perceber uma peculiaridade similar, RECESSÃO, ou seja, os países param de crescer, pois as empresas visam o lucro e não o ser humano, olhe o caso dos EUA agora, que estão baixando as taxas de juros para não entrar em recessão, e lembre-se quando Lula pegou o Brasil, no último ano de FHC, o Brasil estava em recessão e decrescimento de -0,2% no PIB, ou seja é necessário a intervenção do estado como regulador, para que não haja a falta de concorrência, e o capitalismo selvagem.
    fonte de pesquisa: http://www.coladaweb.com/politica/liberalismo
    https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20070923190110AA46h9d

    Gabriel Soares Marques- 2°A

    ResponderExcluir
  35. Direito natural se baseia na natureza das coisas e por último na vontade divina ou no direito justo. Sempre foi visto como um direito inerente á natureza humana.
    Sempre influenciou nas tomadas de decisões em uma civilização e ainda permanece nos dias atuais. Alguns estudiosos do direito natural: Sofistas,Aristóteles, Juristas romanos, dentre outros.
    Bruna Grasiele - 2 ano C (número 1)

    ResponderExcluir
  36. Dara Teles Moreira 2º "C"

    A Doutrina Contratualista iniciou a formulação dos direitos individuais, com o objetivo de conservar no estado de sociedade aqueles direitos que se afirma existência já no estado de natureza
    Os três apologistas do contratualismo concordam que o contrato dá origem ao Estado.
    -Para Hobbes o direito é uma criação do Estado.
    -Para Rosseau, o Estado é um corpo social, em que se concretiza a vontade comum.
    -Para Locke o Estado é mera expressão do poder e também arbitrário, mas pela sua natureza deve ser destinado a garantir os direitos individuais.

    ResponderExcluir
  37. Matheus Muniz 2º C (Nº 16)
    Jonh Locke - Para Locke o Trabalho é a origem e a justificação da propriedade. O contrato, ou o consentimento, é a base do governo e da fixação dos seus limites. Sendo que as duas doutrinas se baseiam na independência da pessoa enquanto indivíduo. O estado natural não conhece o governo, mas nele, assim como na sociedade política, os homens estão sujeitos às regras da moral, que não é mais do que a Lei de Deus. Os homens nascem livres e com os mesmos direitos, e o que quer que o homem «misture com o seu trabalho» é para sua utilização. Ou, em princípio, era assim que era na sociedade primitiva, em que havia o suficiente para todos «e a terra inteira era a América.» Locke defende que, quando a humanidade se multiplicou e a terra se tornou insuficiente para todos, foram necessárias regras para além das criadas pela lei moral ou natural. Mas a origem do governo não se baseia nesta necessidade económica, mas noutra causa. A Lei Moral é sempre válida, mas não é necessariamente mantida sempre. Na sociedade natural todos os homens têm o mesmo direito de punir um transgressor. De facto, a sociedade civil nasce quando, para uma melhor administração da justiça, os habitantes acordam entre si delegar esta função a determinados funcionários. Assim o governo é instituído por meio de um «contrato social», sendo os seus poderes limitados, envolvendo obrigações recíprocas, sendo que estas obrigações podem ser modificadas os revogadas pela autoridade que as conferiu.
    FONTE: http://www.arqnet.pt/portal/teoria/locke.html

    ResponderExcluir
  38. Adriano Alves 2 A

    O contratualismo pregava o estabelecimento de um estado de direito (contrato) que assegurasse direitos de liberdade aos seus indivíduos, esse contrato seria praticado de maneira independente aos preceitos religiosos de uma sociedade, garantindo assim a liberdade religiosa do indivíduo.

    Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO - Cursos Online : Mais de 1000 cursos online com certificado
    http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/51101/filosofia-politica-moderna-o-contratualismo#ixzz3sM3sWLvT

    ResponderExcluir
  39. Liberalismo ético
    O liberalismo ético e quando o Individualismo fica na ideia de que cada indivíduo possui características próprias que devem ser respeitadas pelo estado e pelo sistema. E se encaixa hoje em dia na forma de liberdade de pensamento, expressão, religião. Que é uma garantia de direitos individuais. Vitor Hugo (2 C)

    ResponderExcluir
  40. O contratualismo é uma classe de pessoas que procuram explicar os caminhos que levam as pessoas a formarem governos e manterem uma ordem social. Os contratualistas afirmam que o direito natural não é o suficiente para manter o poder do estado, eles queriam assegurar o direito de liberdade dos indivíduos da sociedade.
    Para consolidar esse estado contratualista, eram necessários três passos:
    1- A transformação da sociedade perante uma reformulação do seu sistema de direito e intervenção do estado.
    2- Um pensamento social que procurasse entender os limites do estado.
    3- Tornar o contrato social acessível para todos os indivíduos da sociedade.
    O contratualismo tem um grande poder democrático na sociedade em favor a uma organização coerente, mas a aplicação de todos os conceitos apresentados é impossível, mesmo nas sociedades contemporâneas, pois batem de frente em muitas convenções sociais, culturais e religiosas.
    -Larissa Santos, 2°B

    ResponderExcluir
  41. Maria Klara Augusto Portilho. 2º "A"
    Direito Natural
    O direito natural sempre influenciou as civilizações em suas tomadas de decisões. Historicamente, o direito natural sempre esteve presente no dia-a-dia dos cidadãos e continua presente nos dias atuais. Foram estudiosos do direito natural: os sofistas, Aristóteles, os juristas romanos, Tomás de Aquino, Michel Foucault, Javier Hervada, dentre outros. O direito natural sempre foi visto como um direito inerente à natureza humana que deve ser respeitado independentemente de sua positivação no ordenamento jurídico interno. O respeito ao direito natural independe de fronteiras territoriais e temporais. É uma teoria que procura fundamentar a partir da razão prática uma crítica a fim de distinguir o que não é razoável na prática do que é razoável e, por conseguinte, o que é realmente importante considerar na prática em oposição ao que não o é.

    Fonte: http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=10785

    ResponderExcluir
  42. Jonh Locke rejeitava a doutrina das idéias inatas e afirmava que todas as nossas idéias tinham origem no que era percebido pelos sentidos , ele tinha uma forma de pensar inovadora , lutava para garantir o direito do povo, e para ele esses direitos deveriam ser garantidos por um governo , um no qual deveria ser eficiente .
    Hoje tem muita influência na política , na educação e muitos outros . As suas idealizações , faz com que pessoas corram atrás de melhor educaçao , corram atrás dos seus direitos e trás hoje uma filosofia inovadora .
    Fonte: https://googleweblight.com/?lite_url=https://pt.m.wikipedia.org/wiki/John_Locke&ei=J8saM_I_&lc=pt-BR&s=1&m=211&ts=1448316585&sig=ALL1Aj4ixyx3TtFWProVGpJyR9gsJcZqrA
    Camila de Oliveira 2° "A"

    ResponderExcluir
  43. Tema: Liberalismo Ético;
    Estimula tolerância com as crenças religiosas, ao mesmo tempo que defende os direitos individuais, como exemplo, a liberdade de pensamento, de expressão e de religião. Além de supor a prevalência do Estado de direito, que rejeita as prisões sem culpa formada, a tortura e as penas cruéis.
    Letícia Lisarda- 2º ano "A".

    ResponderExcluir
  44. Ana Carolina Saraiva - 2º "B". Tema: Contratualismo
    O conceito do contratualismo se trata de valorizar o indivíduo em meio a sociedade e desvendar como provavelmente era antes e depois da criação do Estado. Ambos tinham como base que o Estado havia sido criado por meio de um contrato social. Esse contrato seria como um consenso e não um documento registrado. Os principais contratualistas foram: Thomas Hobbes, John Locke e Jean Jacques Rousseau. Seus respectivos pensamentos a respeito do Estado era:
    Thomas Hobbes acreditava que o contrato foi feito porque o homem é o lobo do próprio homem.
    John Locke, contrariando Hobbes, parte do princípio de que o Estado existe não porque o homem é o lobo do homem, mas em função da necessidade de existir uma instância acima do julgamento parcial de cada cidadão, de acordo com os seus interesses.
    Jean Jacques Rousseau considera que o ser humano é essencialmente bom, porém, a sociedade o corrompe.
    As teorias de cada um são notavelmente diferentes, porém, as discussões que provinham do Contratualismo fizeram surgir a sociedade atual.

    ResponderExcluir
  45. O Liberalismos econômico prega que o Estado não deve intervir na econômia de individuos e sociedades, para que eles possam comercializar entre si sem que haja um controle do governo, impregando impostos, e outros tipos de taxas.
    Na atualidade ele funciona de forma oculta e age contra as privatizações, permitindo que haja um livre comércio e interação econômica entre os indivíduos de determinadas classes, cidades, estados, e até mesmo nações.

    Henrique Pacheco 2°A

    ResponderExcluir
  46. Liberalismo político diz que os seres humanos tem por natureza direitos fundamentais, como a vida, a liberdade e a felicidade. Assim o liberalismo politico limita os poderes e as funções do Estado. Assim o deverá respeitar e não invadir esses direitos. Alguns dos pensadores foram Jonh Locke, Montesquieu e Anders Chydenius.
    Layla Beatriz 2° ano "A"

    ResponderExcluir
  47. Jean-Jacques Rousseau foi um importante filósofo, teórico político e escritor suíço. Nasceu em 28 de junho de 1712 na cidade de Genebra (Suíça) e morreu em 2 de julho de 1778 em Ermenoville (França). É considerado um dos principais filósofos do iluminismo, sendo que suas ideias influenciaram a Revolução Francesa (1789).Rousseau inicia um questionamento da Sociedade e do poder político do século XVIII, governada pelos reis absolutos e pelo Antigo Regime. Seu objetivo em sua obra " Do Contrato Social" era investigar a legitimidade da Sociedade e do Poder Político.

    Bibliografia:http://www.infoescola.com/filosofia/a-filosofia-de-rousseau/
    Gabriel Ferreira 2 Ano B

    ResponderExcluir
  48. O direito natural é aquele que conquistamos ao nascer, ele vem da natureza visto como um direito divino, vindo de Deus. Ele vem antes dos direitos politicos e sociais. O qual não se deve entrar em confronto, pois assim os outros direitos podem perder a validade, pois o direito natural não se pode mudar. Visando sempre o melhor pra o ser humano, direito a vida, a honra, a legítima defesa, etc.
    Adevan Filho 2° ano "A"

    ResponderExcluir
  49. O contratualismo é um ideal que surgiu desprezando princípios, ou qualquer tipo de reflexões, surgiu pelo consenso do homem e da necessidade de viver em ordem, permitindo que homem viva em um senso comum onde o respeito, educação a defesa ao estado e a cidadania seja valorizada. esse ideal gerou uma grande transformação na sociedade criando contratos sociais deixando o convívio entre os membros da sociedade mais harmonioso e mantendo a ordem social !

    Filósofos Contratualistas
    -Thomas Hobbes
    -John Locke
    -Jacques Rousseau


    Lucas Rosa 2° C

    ResponderExcluir
  50. F)Montesquieu:
    As concepções dos Três Poderes que temos na atualidade foi criado por Charles de Montesquieu a partir do século XVII, após um trabalho complicado contendo inspiração como Aristóteles e John Locke e que vem a sendo realizada de um forma mais clara,objetiva e definitiva. Tudo ocorreu a partir trabalho de busca da natureza de cada tipo de poder definido perante a sociedades e relacionado nas leis da época que continham com a natureza em si.O seu maior objetivo era equilibração, independência,no qual sugeriu uma afinidade e um método no sistema governamental de um estado.
    http://tres-poderes.info/
    Mariana Ramos 2°B

    ResponderExcluir
  51. Direito natural ou Jusnaturalismo é uma teoria que procura fundamentar a partir da razão prática uma crítica a fim de distinguir o que não é razoável na prática do que é razoável e, por conseguinte, o que é realmente importante considerar na prática em oposição ao que não o é.Característica fundamental:Seu projeto,Ela não se propõe a uma descrição de assuntos humanos por meio de uma teoria; tampouco procura alcançar o patamar de ciência social descritiva. A teoria do direito natural tem como projeto avaliar as opções humanas com o propósito de agir de modo razoável e bem.Isso é alcançado através da fundamentação de determinados princípios do Direito Natural que são considerados bens humanos evidentes em si mesmos.
    Lueny Amorim 2º ano A

    ResponderExcluir
  52. -Liberalismo pode ser definido como um conjunto de princípios e teorias políticas, que apresenta como ponto principal a defesa da liberdade política e econômica. Neste sentido, os liberais são contrários ao forte controle do Estado na economia e na vida das pessoas.
    -Ético é um produto da vida social que tem a função de promover valores comuns aos membros da sociedade.
    -Muitos pensam que o liberalismo está restrito à sua vertente econômica, de defesa do livre mercado, da não intervenção estatal, dos baixos impostos, etc. Ignoram por completo o fato de que ele engloba um conjunto de princípios e argumentos morais e filosóficos que vão muito além dos aspectos meramente econômicos. Evidentemente, este não é o espaço adequado para a exposição completa e minuciosa de um tema tão abrangente porém, mesmo correndo o risco de perder-me na cilada da superficialidade, segue uma breve introdução dos princípios éticos e filosóficos que regem a doutrina liberal.
    -Segundo Norberto Bobbio, na sua obra o Futuro da Democracia, «…a par do liberalismo económico e político devemos falar de um liberalismo ético», por “liberalismo ético“, entende-se a doutrina que coloca em primeiro lugar na escala de valores o indivíduo e, portanto, a liberdade individual, no duplo sentido de liberdade negativa e de liberdade positiva.
    https://duartenuno.wordpress.com/2005/10/05/o-liberalismo-perante-a-etica/
    http://www.suapesquisa.com/o_que_e/etica_conceito.htm
    www.suapesquisa.com/o_que_e/liberalismo.htm


    Marina Ramos 2ºano ''B''

    ResponderExcluir
  53. O liberalismo ético fundamenta-se na ideia de que cada indivíduo possui características únicas e naturais que devem ser respeitadas pelo Estado e pelo próprio sistema. Têm-se como garantia de diteito: liberdade de expressão, pensamento e religião; Estado de direito que rejeita todo tipo de arbitrariedade... Fonte:http://mapianheri.jusbrasil.com.br/artigos/135223265/o-liberalismo-e-sua-decadencia
    Kelly Reis / 2 ano "B"

    ResponderExcluir
  54. Paula Fernanda 2º B - CONTRATUALISMO
    Muitas teorias filosóficas tentam estruturar a sociedade de maneira mais justa e sensata. O Contratualismo é uma delas que contribui para o bem-estar social de uma sociedade, ou seja, direito de liberdade aos seus indivíduos, praticando de maneira independente aos preceitos religiosos de uma sociedade, garantindo assim a liberdade religiosa do indivíduo.
    As condições necessárias para a consolidação de um estado contratualista seriam três: a transformação da sociedade mediante uma reformulação do seu sistema de direito e intervenção do estado, um pensamento social que estudasse os limites do estado e tornar o contrato social acessível para toda a sociedade.
    O contratualismo demonstrou uma importante faceta do poder democrático. Os conceitos apresentados pelo Contratualismo é praticamente impossível, mesmo nas sociedades contemporâneas, pelo fato de se esbarrarem com muitas convenções sociais, culturais e religiosas,


    Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO
    http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/51101/filosofia-politica-moderna-o-contratualismo#ixzz3sMhDBvuD

    ResponderExcluir
  55. ROBERT RODRIGUES 2B
    John Locke foi um importante filósofo inglês. É considerado um dos líderes da doutrina filosófica conhecida como empirismo e um dos ideólogos do liberalismo e do iluminismo.Para John Locke a busca do conhecimento deveria ocorrer através de experiências e não por deduções ou especulações. Desta forma, as experiências científicas devem ser baseadas na observação do mundo. O empirismo filosófico descarta também as explicações baseadas na fé.

    Fonte : http://www.suapesquisa.com/biografias/john_locke.htm

    ResponderExcluir
  56. Marcus Gabriel 2° B
    Questão A : O direito natural sempre influenciou as civilizações em suas tomadas de decisões. direito natural sempre esteve presente no dia-a-dia dos cidadãos e continua presente nos dias atuais. Sempre foi visto como um direito inerente à natureza humana que deve ser respeitado independentemente de sua positivação no ordenamento jurídico interno. O respeito ao direito natural independe de fronteiras territoriais e temporais.
    De acordo com minha opinião o direito natural está relacionado ao bom senso, que promove uma ordem social e protege a vida, assim como pessoas que possuem o bom senso de não ultrapassar o sinaleiro quando estiver fechado, promovendo a ordem do trânsito e privando não só a sua vida mas também os dos demais que se encontram no trânsito.

    Fonte : http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=10785

    ResponderExcluir
  57. Hobbes quis fundar a sua filosofia política sobre uma construção racional da sociedade, que permitisse explicar o poder absoluto dos soberanos. Mas as suas teses, publicadas ao longo dos anos, e apresentadas na sua forma definitiva no Leviatã, de 1651, não foram bem aceites, nem por aqueles que, com Jaime I, o primeiro rei Stuart de Inglaterra, defendiam que «o que diz respeito ao mistério do poder real não devia ser debatido», nem pelo clero anglicano, que já em 1606 tinha condenado aqueles que defendiam que os homens erravam pelas florestas e nos campos até que a experiência lhes ensinou a necessidade do governo.
    A justificação de Hobbes para o poder absoluto é estritamente racional e friamente utilitária, completamente livre de qualquer tipo de religiosidade e sentimentalismo, negando implicitamente a origem divina do poder.
    O que Hobbes admite é a existência do pacto social. Esta é a sua originalidade e novidade.
    http://www.arqnet.pt/portal/teoria/hobbes.html
    Lyandra Primo 2° B

    ResponderExcluir

 
Liceu Filosofia © 2015 | Desenvolvido por David Edson