(LF-2015) TUTORIAL

segunda-feira, 31 de agosto de 2015


TUTORIAL
Saindo da caverna

Ilhacult

Saudações, nobres alunos.

Prontos para brilhar?

As questões 1 e 2 do tutorial estão atreladas a um texto específico. As questões 3 e 4 já se baseiam em outro texto específico. E por fim, a questão 5 está atrelada a um terceiro texto. Portanto, ao escolher uma questão você deverá estudar o seu texto base. Siga as instruções metodológicas de estudo de texto de filosofia. Todos os textos bases estão nesse site. Por isso procure pelo título expresso ao final de cada questão ou clique no link.

INSTRUÇÕES DE LEITURA DE TEXTO DE FILOSOFIA
Um texto de filosofia, em geral, é muito complexo. Para ler um texto de filosofia você deve fazer o seguinte:

Pesquisar sobre o autor do texto. (Em que ele é formado, em que ele atua, quais os seus posicionamentos políticos na sociedade?).
Essas informações irão ajudar o leitor compreender com mais profundidade o assunto e o ponto de vista do autor. O ponto de vista dele não é a verdade, é um ponto de vista que precisa ser validado pelo leitor.

O leitor precisa entender minimamente o assunto abordado pelo autor. Pois, como o leitor poderá validar um argumento, cujo assunto ele ignora?

PARÁGRAFO: o texto acadêmico ou formal possui uma estrutura muito sólida que permite ao leitor compreendê-lo por sua estrutura. O primeiro – e talvez também o segundo – parágrafo funciona como introdução ao assunto. Você precisa lê-lo quantas vezes for preciso para tentar entender a introdução do assunto. Se você não compreendeu o primeiro parágrafo então não compreenderá o segundo e os demais.

PALAVRAS NOVAS: um bom leitor tem à sua disposição um dicionário da língua portuguesa para o auxílio em consulta às novas palavras do seu vocabulário. Observa-se que nos textos de filosofia existem muitos neologismos. Exemplo, fabricalizacionamento é um neologismo de fábrica. Os neologismos e palavras incomuns ao vocabulário do leitor podem ser cruciais para o seu aprendizado. Muita gente não consegue entender um texto ou uma prova porque seu vocabulário é pobre culturamente. Portanto, enriqueça-o.
A grande diferença entre a leitura comum para a leitura filosófica é que o leitor dos textos de filosofia precisa dialogar constantemente com o texto lido e não apenas querer reter a informação nele apresentada. Um leitor comum se detém em informações. O leitor filosófico conversa com as ideias, conceitos, teses, e com as hipóteses.

A sua apreciação. Como leitor você deve fazer a sua avaliação fundamentada em princípios racionais, tais como:

a)    O que o autor diz tem fundamento em quê? Em dogmas, em conceitos científicos, em ideia do senso comum?

b)    O assunto é do meu conhecimento? Você conhece de fato ou apenas possui informações e opiniões sobre o assunto?

c)    Existe algo que eu possa somar ao texto lido? Algum conceito, alguma ideia?

d)   Qual a ideia central do autor e o que ele defende ou propõe? Ou seja, o que ele pretende dizer com o texto?

e)    Resuma com as suas próprias palavras o entendimento geral do texto. Por exemplo, faça o exercício de tentar explicar o que você entendeu para alguma pessoa.

APRECIAÇÃO: Você deve avaliar e julgar os argumentos e não as pessoas. Nesse sentido, o sujeito só vai conseguir apreciar de fato quando ele compreende, caso contrário ele irá apenas emitir uma opinião para dizer o que ele gostou ou não gostou, em que ele concorda ou discorda. Uma apreciação séria consiste em responder as seguintes questões: o que o autor diz é relevante em que sentido, como, por que e pra quê?


QUESTÕES PARA SEREM AVALIADAS EM TUTORIAL.
O aluno escolherá uma questão a ser respondida e o professor escolherá outra.
Cada aluno vai elaborar as suas respostas individuais em uma folha separada para apresenta-la ao professor na ocasião do tutorial.

CRITÉRIOS DA PARA A AVALIAÇÃO:
Clareza, Objetividade e Coerência.

1). Quem conspira contra os avanços das políticas de promoção da igualdade, de combate à pobreza no Brasil? (Explique como e por que).
Texto: Será o fim?  Chegadas e partidas: O que deve ficar e o que deve sair após a era petista?
Filme: Sugere-se também que assistam ao filme Chegadas e Partidas ou leiam a sinopse.

2). O autor compara o Partido dos Trabalhadores-PT ao Sr. Quoyle. Por que somente o PT é perseguido no Brasil, conforme o autor? (Explique como os conflitos e as crises políticas afetam os interesses da população brasileira).
Texto: Será o fim?  Chegadas e partidas: O que deve ficar e o que deve sair após a era petista?
Filme: Sugere-se também que assistam ao filme Chegadas e Partidas ou leiam a sinopse.

3). Quando o autor diz que as pessoas favoráveis à redução da maioridade penal, em geral são alheias à sua realidade a que pessoas ele se refere? (Esse fenômeno de defender opiniões e desconhecer os fundamentos nos lembra Sócrates. Portanto, não deixe de enfatizar quem é o sujeito ignorante e quem é o sujeito instruído no assunto sobre a redução da maioridade penal no Brasil).
Texto: Maioridade penal: o problema subjacente.


4). As nossas instituições políticas são muito fortes, mas desconhecidas pelo povo brasileiro. Muitas vezes atribuímos responsabilidades a autoridades destituídas da sua real competência. Mas porque muitos políticos brasileiros, sobretudo senadores e deputados (federais, e estaduais/distritais) defendem a redução da maioridade penal? (Explique qual a parcela do povo que esses legislativos representam).
Texto: Maioridade penal: o problema subjacente.

5). O autor notoriamente é irônico ao dizer que seria melhor se tivéssemos o retorno da ditadura militar da década de (60, 70 e 80). Por que seria melhor na concepção do autor? Qual a relação que ele faz da ditadura com o momento atual? Qual o tipo de ditadura invisível que temos atualmente?
Texto: Política ditadura: que tal repensá-la?


Boa avaliação.
Professor Adeir

2 comentários:

  1. Carai professor vc fudeu as nossas vidas

    ResponderExcluir
  2. Filosofar, caro aluno é ter uma atitude filosófica. Você pode questionar o método e questionar o conteúdo, mas precisa também significar o aprendizado. No início do semestre, quando eu falei pra vocês que sair da caverna é árduo... não se tratava de efeito retórico. Brilhando brilhando.
    Adeir

    ResponderExcluir

 
Liceu Filosofia © 2015 | Desenvolvido por David Edson